PT EN ES

Governança é vital para qualquer empresa  

1 de novembro de 2023
Claudinei Elias

ESG é o assunto da década. Para todo lugar que se olhe só se fala sobre o tema, principalmente nas empresas, que cada vez mais se esforçam para passar a imagem de que se preocupam em estarem alinhadas às boas práticas. Porém, será que realmente estão? Digo isso porque ESG é constância e não adianta só investir em ações sociais e ambientais. É preciso se atentar à Governança!  

E não apenas pelo fato de o G estar contemplado em ESG, mas porque a Governança se refere à forma como uma empresa é dirigida e controlada. É ela que irá definir os direitos e responsabilidades, a estruturação de processos de decisão e a implementação de mecanismos de controle interno, sempre com base na ética, transparência, segurança e, também, na geração de resultados.  

Inclusive, é interessante observar que algumas empresas já estão entendendo a importância do G de ESG e que há uma previsão de crescimento do mercado mundial de Governança, Riscos e Compliance. Segundo a pesquisa “O Mercado Global de Governança, Riscos e Compliance até 2025”, realizada pela Bravo Research, o mercado mundial do segmento deve apresentar um crescimento médio anual de 13% até 2025, além de que, a projeção é de que a demanda global por soluções e serviços voltados a esse setor represente um mercado de U$60,8 bilhões no mesmo período.  

Porém, o tema ainda é desconhecido ou ignorado por muitas empresas. Para se ter noção, segundo uma pesquisa recente da ManpowerGroup, a Governança Corporativa é o pilar menos valorizado do ESG, com apenas 14% dos entrevistados no Brasil concentrando as suas atividades no setor. Ou seja, apesar de estarmos indo por um bom caminho, ainda precisamos debater, exaltar e divulgar a importância da Governança, para o bem das próprias companhias e para um mercado mais ético e sustentável como um todo.  

Eu sempre costumo dizer que não existe ESG sem Governança, pois para se desenvolver qualquer prática ambiental e social dentro de uma empresa é preciso que haja um planejamento e uma estratégia. É preciso entender quais são os pontos fortes e os pontos fracos da empresa, onde a companhia quer chegar, quais os riscos a que ela está exposta… Inclusive, é nesse ponto que entra a Gestão de Riscos, um dos mais relevantes e importantes pilares de uma Governança estruturada e robusta.  

Visando a entrega de cenários de performance ajustados por riscos, a Gestão de Riscos trabalha em frentes como: questões de integridade, ambientais e sociais, de continuidade e de cibersegurança. Ou seja, a Governança ajuda a melhorar a confiança dos investidores, a eficiência operacional e a sustentabilidade a longo prazo, já a Gestão de Riscos é o processo que identifica, avalia e controla as ameaças à organização, minimizando perdas, melhorando a resiliência e apoiando o crescimento sustentável, além de potencializar as oportunidades e promover performance com princípios. 

Dito isso, fica mais fácil entender por que a Governança é tão importante para todas as empresas, independentemente do tamanho. Afinal, é por meio dela que as marcas conseguem evitar os principais riscos e a má administração, fazendo com que haja uma maior longevidade da companhia e a ajudando a crescer de forma sustentável e ética

Vale destacar também que ter uma Governança séria e robusta é evitar as condutas de potencial washing, que são diversos greenwashing (divulgação falsa sobre sustentabilidade), Pink washing (falso posicionamento sobre a diversidade) e muito outros tipos,  que pode, inclusive, prejudicar a imagem e reputação de uma empresa, pois hoje em dia com toda a tecnologia que temos à nossa disposição é fácil descobrir se há realmente o desenvolvimento dessas práticas ESG e a Governança é onde se equilibra tudo isso. 

Claudinei Elias é CEO e Fundador da Bravo GRC, com vasta experiência em GRC (Governança, Riscos e Compliance), ESG (Ecoambiental, Social e Governança) e ERM (Gestão de Riscos Corporativos). Possui formação em alta gestão para liderança na Yale School of Management e Pós-MBA em Tecnologia e Liderança pela Saint Paul Escola de Negócios, além de certificações especializadas em Harvard, Cambridge, AIRM, Babson College, University of Glasgow, Saint Paul/IBM e Programa SEER.  

uma empresa